sexta-feira, 31 de maio de 2013

Limões

     A vida te dá um caminhão de limões;
     - Você faz dois caminhões de limonada e depois passa na porta da casa da vida perguntando se tem mais limão pra dar.

terça-feira, 28 de maio de 2013

Sobre a carga de queratina líquida - e todo o cronograma (e a vida capilar e etc etc)

     Aí que hoje lavei o cabelo de novo e fiz a carga de queratina com a Queratina Líquida de que falei aqui. Segundo o modo de usar do rótulo, deve-se usar depois de lavar e condicionar o cabelo; como já disse aqui, com produtos de tratamento deve-se ignorar esses modos de uso e usar tudo entre o shampoo e o condicionador (porque o shampoo abre as cutículas e o condicionador as fecha). Aí fiz isso.
     Usei meu shampoo medicinal normalmente (o de zinco, não resseca o cabelo) e apliquei com o borrifador uma boa quantidade (espirrei bastante mesmo, principalmente nas pontinhas). Na hora não deu nada, só senti o cheiro que não é lá grandes coisas. Uns 3 minutos depois senti meu cabelo muito duro, quase me arrependi de ter usado a máscara de aminoácidos num dia e a queratina em seguida (sem intercalar com a hidratação). Mas me tranquilizei porque a máscara tem agentes hidratantes e nutritivos e, além disso, eu fiz 1 cronograma e meio de H e N, então...
     Além de tudo eu tinha lavado o cabelo só com shampoo e vocês sabem como fica, né... fica durão mesmo. Então me acalmei e esperei mais tempo. Não deixei o tempo de pausa indicado (10 minutos), mas também não contei, devem ter sido uns 7 minutos. Sem touca.
     Condicionei normalmente e no condicionador senti uma diferença positiva na força do cabelo: parece que ele está mais "firme" (eu e minhas descrições de impressões). A sensação é de que o cabelo ganhou mais corpo em cada fio, como se eles estivessem plastificados. Deixei secar sem passar aquele óleo maravilhoso de argan como finalizador pra ver qual era - quem tem cabelo cacheado/ ondulado sabe que deixar o cabelo secar naturalmente é um terror, mas o fiz em nome do jornalismo verdade.
     Quando cheguei na universidade perguntei à Pamella o que ela achava e ela concordou comigo: ele tava meio duro, mas de um jeito bom. A parte que ficou mais "dura" foi a frente e na hora a gente não entendeu porque, mas eu pensei e acho que é porque era a única parte que já havia secado do cabelo todo, então a gente teve essa impressão. Na secagem foi terrível, mas agora com o cabelo já seco tô achando uma beleza. As pontas estão espetaculares (claro que estão irregulares porque cada uma quebrou num ponto, relevemos esse fato) e o cabelo em si respondeu muito bem à queratina - sinal de que estava fazendo falta pra ele. Está brilhando e com balanço.
     Agora: recomeçar o cronograma da seguinte maneira: 3 semanas fazendo 1 H de 15 minutos (1x por semana); 2 semanas fazendo 1 N de 15 minutos (1x por semana) e 1 semana fazendo 1 máscara de aminoácidos, 1 H e uma carga de queratina, nessa ordem.
     Como sempre falei, indicar produtos não é o propósito máximo do blog. Não adianta eu indicar muito a carga de queratina e falar que ela é ótima porque não funciona assim. No meu cabelo que tem tal história, ela funcionou bem demais. Se você fez descolorações sucessivas e teve um corte químico e já realizou um cronograma de H e N muito bem realizado, sim, eu indico. Sacaram a nuance do negócio?
     Enfim, hoje posso dizer que estou feliz com meu cabelo, como há meses não me sentia. Uma coisa que reparei é que depois da nutrição, estou gostando mais de andar com ele solto e o cacheado que está reaparecendo está bem mais definido e bonito. Podem falar o quanto quiserem que cabelo é tecido morto (e até é), mas jamais que eu vou achar que isso o condena à morte.

UPDATE: agora relendo aqui em cima, que engraçado que é esses códigos todos (tipo, 1 H de 15 min) e, pior, a gente entendendo e fazendo marcações na agenda <3

segunda-feira, 27 de maio de 2013

A história do meu cabelo - e o "fim" do cronograma capilar

     -Senta que lá vem a história.
     A primeira parte vou resumir de um fôlego só: eu ia numa cabeleireira que era a cabeleireira da minha mãe desde que ela era solteira e ela era chata e só fazia uma coisa e ai eu comecei c as luzes aí eu comecei a namorar e mudei de cabeleireiro aí esse cara já era meu colorista há uns 5 anos e eu fazia luzes com ele aí eu falei "platina tudo" ele falou "tá bom" aí ele tascou descolorante na minha raiz e as pontas ficaram com luzes meu couro cabeludo ficou todo machucado e cada pedaço de uma cor - estilo arara - aí eu troquei troquei troquei troquei de cabeleireiro até achar uma boa, muito boa que ficou em cima dos meus fios 7 horas e corrigiu as milhares de cores que tavam lá e foi maravilhosa por quase 4 anos aí no dia do meu baile de formatura ela foi aumentar o loirão e tascou descolorante onde já tava loiro e aí meu cabelo caiu.
     Metade dele caiu. Tive um corte químico no dia do meu baile de formatura.
     Ceis pensam que eu chorei? Nada. Resolvi que não ia ficar com raiva e fui pra minha festa. A cor tava dos meus sonhos, mas só tinha metade do cabelo pra gostar. No outro dia eu até voltei no salão porque a queda de cabelo não parou: eu lavei quando cheguei da festa e ficou caindo, esticando igual borracha, quando tava seco parecia que tava "nevando" na minha roupa. Enfim. Um cabelo extremamente danificado pela química, com perda de massa, fragilizado, acabado mesmo. Eu poderia estar roubando ficar falando meia hora aqui, mas vamos direto ao ponto.
     As pontas ficaram murchinhas porque foi onde mais caiu, onde estava mais claro o cabelo e o descolorante novo bateu em cima. Sabe cabelo de Barbie, quando a gente lava com detergente e fica igual uma palha de plástico? Tava assim. Bem trash. E eu notei que os fios ganharam, além de pontas quíntuplas (sério, o fio se divide em mil, uma coisa louca), eles ficaram com umas bolinhas brancas e nessas bolinhas o fio se parte muito fácil. Gente, na época eu não sabia nada de cabelo - e ela foi o motivo de hoje eu saber um pouco. Meu desespero foi forte. Cada lavagem era muita coisa que caía, meu cabelo tava durinho e áspero, ele partia e tava lotado dessas bolinhas (vocês já repararam nessas bolinhas? Outro dia eu vi uma menina LOTADA delas - parecia que era por causa de alisamento. Deu pena... tem que tratar, gente). O nome disso é tricorrexis nodosa (clica para ver uma postagem muito boa sobre) e tem que tratar com vários aminoácidos, além de queratina hidrolisada (gente, consultem a dermato!). Tratamentos/ descolorações muito seguidos, baratos, muito fortes e à base de formol podem causar ou agravar o problema (se tiver mais gente passando por isso, digam aí que eu faço uma postagem só disso).
     Tá, e aí? Aí que eu fui caçar informação (não, não fui de novo no tal salão e não tenho ainda pra onde ir). Entrei na net, fiz uma lista de perguntas pra dermato, li, olhei, testei e cheguei nas info que tenho hoje. Não foi mole, mas até que entendi a necessidade real de se fazer hidratação por três semanas, eu gastei muito creme fazendo dois dias e já tascando nutrição, por impaciência e falta de conhecimento mesmo. Foi quando cheguei às conclusões do que daria certo (e principalmente um dia em que azamiga tava perguntando pra mim o que fazer - vide Aline, que me ligou lá do sul do país pra ver o que comprar) que eu decidi que escreveria um blog com essas coisas. Enfim.
     Aí eu comecei com o cronograma e tudo começou a mudar [Não vou ficar falando aqui, vai lá e dá uma olhada]. Em meio a raivas como comprar ampola errada e passar ódia quando meu cabelo grudou todinho com a umectação, posso falar que meu cabelo voltou. Já cortei, é claro, quase toda a parte danificada das pontas, e as bolinhas quase sumiram, já que estavam concentradas lá. Devido às quebras, meu cabelo estava bastante irregular (cada fio terminava num ponto), e já está chegando no lugar de novo.
     E ontem fiz a reconstrução.
     Não sei se o nome é sorte, ou se foi o clima do dia - mais provavelmente foi o início do cronograma, em que fiz tudo certo, hidratei muito e nutri muito (e refiz as duas etapas em uma versão mais curta, devido à porosidade dos fios, que não retém muito o que eu coloco, além dos danos profundos que já estavam presentes - fiquei com medo de reconstruir e dar errado por falta de H ou N). Eu comprei dois produtos e, por enquanto, só usei a máscara:
Máscara pós-alisamento (pós-química) Tratamento Verde e queratina líquida Yenzah
     Vejam porque essa máscara me pareceu mentira: 11 aminoácidos + ingrediente nutritivo (manteiga de semente de cupuaçu). No meu caso, com um cabelo mega danificado, não poderia esperar nada melhor. Mas melhorou:
E o pH é baixíssimo: ele mesmo fecha as cutículas do cabelo e segura mais os componentes lá dentro do fio
      Ela não tem óleos minerais, nem parabenos, nem usa nada de origem animal nem tem corantes - e sem silicones malditos atrapalhando minha composição linda de aminoácidos, manteiga de semente de cupuaçu, pantenol... (acho que tem um silicone lá no finzinho...)
     A consistência é mega boa: muito dura, não escorre (olha a marca dos meus dedos de um dia pro outro!) e é bem concentrada: já achei o preço bom (19 dinheiros), mas isso fez valer mais ainda, porque dura muito. O único ponto não muito bom é o cheiro, que lembra um pouco creme de barbear, mas é bem suave e tranquilinho. Não é ruim, entende, só não é aquele cheirão bom de creme de frutas. E é branquinho: loiras, agradecei aos céus!


     As máscaras de reconstrução geralmente não dão aquela sensação de cabelo molinho como as de hidratação. Pelo contrário, como elas reestruturam, a tendência é dar uma "encorpada" na parada. Apesar disso, posso dizer que depois do tempo de pausa (10 - 15 min, não usei touca), eu senti uma malemolência emoliência maneira, então acho que cumpre bem o papel de nutrir/ hidratar e repor aminoácidos. Lembrando que se você não tem química nem maltrata seu cabelo diariamente com escovas e piastras, não acho que seja uma boa reconstruir loucamente. Definitivamente não indico a queratina líquida, mas essa máscara seria uma boa opção bimestral (aprox. uma vez a cada cronograma pra quem fizer em seguida) para cabelos virgens. Como falei com a Pamella, o cabelo sem química não vai precisar gastar muito mais dinheiro agora - uma máscara das marcas boas de reconstrução vai servir de boa - observados os silicones etc.
     O que eu senti: o cabelo mais encorpado e o sumiço das bolinhas brancas, acreditem se quiserem. Engraçado que a textura dos fios melhorou desde a segunda semana do cronograma, com H, e depois da N foi tudo uma maravilha. Eu achei até que não fosse melhorar muito esteticamente na reconstrução, mas me enganei. Além de estar com mais brilho, sinto que os fios estão mais presentes, com mais cara de cabelo, mais inteiros e mais fortes (gente, vou contratar alguém pra escrever minhas impressões porque juro que é isso que eu senti, mas não sei descrever melhor). É como se, pela primeira vez em meses, desde o corte químico, eu me lembrasse de como é ter um cabelo que não parece que vai sair na mão se eu puxar, e com voluminho, sem estar cheião. Agora no próximo dia que eu lavar (amanhã) vou usar a queratina líquida e ver como será. Ela também é usada pra fazer cauterização em casa - depois a gente faz.
      Quer dizer... um dia lá no banheiro da faculdade a Pamella e a Aline entraram, sem saber que eu estava em uma das cabines, falando "poxa, muito bom esse negócio que a gente tá fazendo no cabelo, né?". Poxa, tem coisa melhor que ouvir isso? E agora que você já viram aí (um pouco!) pelo que eu passei, acho que dá pra sacar mais um pouquinho da importância que tem pra mim ter chegado nesse entendimento da dinâmica do negócio - só outra mulher pra saber o que o cabelo representa na vida da gente... Por isso: se você entra aqui, lê, segue, indica prazamiga o que eu tô falando - muito obrigada, mesmo. Eu poderia ter ficado fazendo isso em casa e tendo um cabelo legal sozinha, mas quis escrever esse mondicoisa que eu acho/ descubro/ aprendo porque o melhor que tem é quando alguém fica mais alegre com uma coisa em que a gente ajudou... :)

*o desgrude não trabalha com conteúdo pago. os produtos e serviços indicados são descritos espontânea e livremente, de acordo com a minha opinião.
*o(s) produto(s)/ serviço(s) dessa postagem foi(foram) comprado(s) por mim.

domingo, 26 de maio de 2013

Gente grande

     Crescer é saber deixar. Abrir mão, escolher, optar, decidir, deixar. É, mais que escolher o que fica, o que vai.
     Let it grow; let it go.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Unhas glamour

     Uma voltinha no supermercado pra comprar pão me colocou de cara com o Maxi Bolsa da Palha, da Risqué; da coleção nova Brasil por Risqué. Moda (com esse ponto final dramático). Uma coisa estranha porque eu nunca ligo pros esmaltes do mercado, quase sempre só tem Renda, Gabriela e Rebu. Mas eles estão vendendo essa coleção novinha e a cor me chamou muita atenção. Na luz de lá tava parecendo um bege acinzentado dourado (nessa ordem) e apaixonei. Depois de dois dias fui bater o olho nele na luz natural e entendi que é um dourado levíssimo, é um bege dourado, uma coisa linda, suave, com MICRO MICRO brilhinhos holográficos/ douradinhos (juro, é muito mínimo, quase uma cintilância). Ele não tem uma cobertura excepcional, mas a cor realmente compensa. Sensacional, estou muito satisfeita de ver como a Risqué fez um dourado discreto e, ao mesmo tempo, glamouroso, com cara de nude mas... ah, nem sei falar.
     Nos anelares usei um dos meus esmaltes top 5 em preferência (usei até no meu baile de formatura, em todas as unhas): o Glam Rock - glitter forte da Hits (387). Ele é a coisa mais linda que existe! Quando a ente pensa que um glitter tão concentrado e dourado seria a vida, a gente tem esse que mistura nisso glitter holográfico. Fora de foco dá pra ver direitinho o efeito na real (o zoom e a falta de foco fizeram parecer que o Maxi Bolsa de Palha é muito transparente - é um pouco, mas não tanto. Passei duas camadas dele e duas do glitter também):
    

     Lindao, né? Tô encantada.

Hidratação de pele superblasterseca

     Ô epocazinha pra ressecar tudo, né.  O frio realmente não é nosso amigo: a oleosidade do cabelo aumenta, os lábios ficam rachados e o cotovelo foca cinza. Sad.
     Eu ainda tenho um problema sério com isso que é um acúmulo de queratina pelo ressecamento, essa proteína acumula nos meus folículos capilares, formando as famosas "bolinhas". Eu descobri isso depois de ir na dermatologista (minha melhor dica sempre vai ser essa) e descobrir que a hidratação ajuda bem no problema, já que ela vai diluir esse acúmulo, espalhando a queratina pela pene e diluindo as tais bolinhas. Na época eu usava um creme manipulado com ureia (ureia é vida, é justiça). Então se você está procurando um creme de hidratação intensa, ácidos são uma boa. NUNCA USE ANTES DE SAIR NO SOL. E não estou falando de piscina, só de ir ali na quitanda você pode ficar manchada.
     Mas estou falando no passado porque (junto com a troca de dermato) descobri esse creme aí...


     ...da categoria dos melhores produtos que já usei. Estou no segundo frasco, e vou pra quantos tiver. Além de ter um cheiro maravilhoso sem precedentes, ele hidrata MUITO e, o principal, não deixa a gente melecada. Porque o meu creme manipulado deixava uma sensação muito de película que eu odiava. Não é aquela sensação do creme, sabe, era uma coisa meio hermética, meio tampando minha alma, cobrindo minha existência, privando meu ser de contato com o mundo à minha volta. Esse creme da Nívea é a maravilha do mundo. Como ele é potente, você vai sentir uma coisa na sua pele: mas ela "some" e deixa só a sensação de hidratação que dura até o próximo banho. Meu lençol já tem esse cheiro. Comarlinda.
     Se você também sofre de foliculite (que é o nome da inflamação do folículo capilar que causa as tais bolinhas) consulte um dermatologista pra te indicar um creme. Na minha humilde opinião, esse creme aí de farmácia me ajuda muito. Claro que é um problema crônico que não vai sumir, mas passar a mão no braço e sentir mais lisinho não tem preço. Além disso, acredito que a maioria de nós, mortais, tenhamos muita oleosidade na cabeça (rosto e couro cabeludo) e pouca no resto do corpo - tem que hidratar, senão fica com a pele craquelada e a canela esbranquiçada. Não dá, né, gente. Nem tô falando de unhas e cutículas, que meninas reclamam de ter que tirar a cutícula (aham) e de unhas que lascam e quebram, mas nunca ficam 24h sem esmalte nem passam hidratante nas benditas. Humpf.
     Uma outra coisa são os óleos (esse creme tem óleo de amêndoas na composição, mas não é o agente principal, ok?): mesma coisa que já falei nos posts de cabelo - óleo não hidrata. Hidratar é recompor a água e, bom, no óleo não tem água. A Renatinha ama e foi ela que me lembrou de falar disso! A sensação boa que o óleo pode trazer (eu odeio, mas tem quem goste) vem da nutrição que ele dá à pele e também à barreira protetora que ele faz, mantendo, sim, a hidratação. Essa é a função dele na recomposição hídrica: sendo uma substância hidrófoba (que tem "medo" da água), ele repele esta e a mantém ela na sua pele. Mas, pra que isso aconteça, tem que ter água na sua pele, né, coisa linda. Não adianta achar que o óleo vai te hidratar - ele vai te ajudar na manutenção da hidratação. Então se você bebe muita água e usa cremes hidratantes - tem uma pele hidratada - e  gosta da sensação dos óleos, se joga! Mas, caso você seja como eu (um camelo que odeia ficar melecado), use cremes como esse aí.
ps: nem preciso falar que pro rosto a hidratação é específica, né?

*o desgrude não trabalha com conteúdo pago. os produtos e serviços indicados são descritos espontânea e livremente, de acordo com a minha opinião.
*o(s) produto(s)/ serviço(s) dessa postagem foi(foram) comprado(s) por mim.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Satisfação rápida sobre o cronograma

     Hoje não estou com tempo, mas vim aqui rapidinho pra dar uma satisfação sobre o cronograma, já que falei que estava na nutrição e já era pra ter acabado tudo. Bom, a história do meu cabelo ainda não contei - essa semana ainda faço isso - e é preciso conhecê-la pra entender. Mas o importante agora é vocês saberem que eu resolvi "começar de novo" - refiz hidratação e to refazendo nutrição, porque com tudo que me aconteceu, meus fios estão muito porosos e perdem fácil tratamento e, com isso, fiquei com medo de tacar reconstrução e ele ficar duro. Então não se aflijam: se seu cabelo não passou por química violenta, não precisa fazer isso - compre uma máscara de reconstrução (proteínas/ aminoácidos) e faça dois dias, alternando com hidratação. Normal. Eu comprei uma máscara que parece ser show (com vários aminoácidos) e um vidro de queratina líquida. Depois mostro.
     Ok? Me contem se já acabaram - e não deixem de entremear hidratações nos processos de vocês.
     Pra que não tá entendendo nada, clica ali em categorias em "cronograma capilar".

Unhas dazamiga: branco e oncinha

     Inaugurando a categoria dazamiga, a Lindaura (hello, baby) veio figurar com suas unhas curtinhas e fofíssimas, provando (alô, Jamille) que unhas curtas ficam, sim, lindas se decoradas (pintadas, etc).
     Aproveitando que ela tava aqui em casa, ela copiou se inspirou numa manicure que fiz um tempo atrás - branco e oncinha dourada. Foram duas camadas de Blanc, da Blant e carimbadas com o carimbo da Konad (plaquinha M57 - comprei em São Paulo, lá na Liberdade, mas a Mega Vale tá super vendendo; não sei se tem essa especificamente). O esmalte do carimbo foi o Cromo Ouro da Impala - MARAVILHOSO, tanto pra pintar quanto pra carimbar (acho que não existe mais, infelizmentchy). Fora que com a unha curta as carimbadas ficam excelentes, não fica espaço sem estampa. É ótimo.
     Olha que gracinha:


     Se você comer essa unha, dona Lindaura, minhas leitoras vão atrás de você. Né gente.
     Brigada, baby ;)

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Maquiando olhos com pálpebra gordinha - sem côncavo aparente

     Desde quando fiquei amiga da Jamille (lá em 2001) eu comecei a gostar de usar brincos maiores e me interessar por maquiagem. Até então eu era um adolescente bem ligada em estudar, ler e andava por aí de cara lavada e cabelo preso o tempo todo - Jonara me enchia o saco. Daí que a gente, lá pros 13 anos, começou na mania de usar lápis preto na linha d'água: todo dia, toda hora, passando um por cima do outro, porque, não se tirava maquiagem, claro.
     Apesar da tristeza e da vontade de rir que me dá lembrar isso (além das lembranças boas das minhas amigas de mais longa data), é muito bom saber que aprendi a me maquiar. Mas isso não foi cedo. O caso é que, quando eu tinha vontade de usar sombra, eu não conseguia. Eu passava a bendita e fazia até um trabalho razoável, mas de olho aberto a bendita sumia. Eu fiquei muito tempo (anos) frustrada com essa situação, sem bem entender porque, e aceitei que eu não sabia me maquiar. Com isso eu descobri - veio a moda - dos tutoriais de maquiagem na internet e eu copiava tudo e, guess what, continuava dando tudo errado.
     Até que - olha, nem faz muito tempo - que eu entendi que meus olhos não são abertões (amplos) como os das meninas que fazem tutoriais na internet. E acho que no começo dessa febre isso era ainda pior porque essas moças de pálpebra gordinha não deviam ser muito animadas com maquiagem, por se frustrarem como eu.
     Aí eu botei no Google como eu achava que meu olho era: maquiagem "pálpebra gordinha" / "sem côncavo aparente". Aí que eu descobri que tenho que me maquiar de um jeito diferente, nada que siga um côncavo, nada que siga o conceito de pálpebra móvel - porque, pra mim, isso tudo funciona diferente.
     Meu olho é assim: a pálpebra móvel entra debaixo de uma pele gordinha em cima, ou seja, é como se uma bolsinha cobrisse minha pálpebra móvel e acabasse inexistindo um côncavo. As fotos das moças abaixo mostram mais ou menos como é.
     Aí que é bacana: entendendo isso eu saquei que o efeito bonito de marcar o côncavo, escurecer o canto externo e fazer um puxado podem funcionar pra mim, desde que eu ignore onde meu côncavo fica (já que ele não fica em lugar nenhum) e que eu me maquie pra cima da pálpebra móvel. Se esse é o caso do seu olho, dá uma olhada nessas fotos. Vou tentar explicar as técnicas delas aqui.


Emily Vancamp
     Essa linda de Revenge tem uma pálpebra beem gordinha. Eu cacei muito maquiagens dela, mas parece que ela não usa muito. Observem que o que mais aparece na maquiagem dele é o que está nos cantos externo e interno. Ela usou um marrom acobreado bem bonito, parece que está só na pálpebra móvel - mas para contornar, ela espalhou pros cantos para aparecer. Quando sorrimos é ainda pior o escondido da maquiagem, mas ela deu um jeito bem bonito pra quem não quer parecer muito maquiada. Sem exageros, mas tá lá.

Ginnifer Goodwin
     Ela fez uma coisa linda que eu faço bastante: usou um tom mais escuro de cinza na pálpebra móvel e um mais claro no resto do olho, até quase a sobrancelha, nessa área ela iluminou levemente, e fez um degradê bonito porque o cinza vai sumindo conforme chega próximo da sobrancelha. Tem lápis preto na linha d'água contornando todo o olho e, outra dica massa, abaixo dos cílios inferiores um delineado fininho de uma sombra cobre.


Olivia Wilde
     Na primeira foto, mostra um delineado lindo, gatinho. É bom fazer assim porque o delineado convencional dá uma sumida. No caso da Olivia (íntima) a pálpebra dela não é tão pronunciada, então ainda rola de aparecer bem, mas vejam que ela afastou o começo do delineado do canto interno e passou no canto externo: essa diferença mostra mais o que tá ali. Na segunda foto ela usou sombra até lemcima. Não tem marcação de côncavo: ela usou simplesmente um esfumado de três cores com claro no interno e escuro no externo (dá pra ver melhor no olho direito dela). Percebam que a maquiagem vai até lá em cima, o que é minha dica principal: se você tem esse olho, seu limite não é a dobra, como pras outras meninas: ache o osso abaixo da sua sobrancelha, e aí está: maquie até um pouco abaixo dele. Se meninas com olho amplo fizerem isso elas ficam com maquiagem de passista destaque do carnaval, mas não a gente. A impressão é a mesma de uma maquiagem até o côncavo. Se quiser fazer aquela linha de côncavo mais escura, é aí nesse lugar que você tem que fazê-la. Sem medo: dá certo.

Blake Lively
     Sombra marrom e pérola: vejam que ela maquiou quase até o ossinho - isso porque mesmo as cores usadas me dão a impressão de que ela não queria parecer muito maquiada. Extrapolação da região do côncavo com o marrom fazendo um puxado gráfico. Não consegui ver direito, mas parece que ela delineou tudo com a sombra pérola. Ela vai iluminando tudo do canto interno emendado com um delineado abaixo dos cílios inferiores, que encontra com uma pontinha de delineado marrom.

Emma Stone
     Gente, vocês não têm noção do quanto amo essa menina. Acho ela um amor, linda, talentosa, divertida. Gosto muito dos cabelos dela e, quando saquei que ela tem o olho do meu tipo, pirei. Sempre cato o que ela faz pra copiar, adoro o estilinho dela. Veja aí: mesma coisa da Olivia, delineado gatinho e ouso dizer que tem um tiquinho de sombra marrom clarinha ali. No olho direito dela dá pra ver que ela usou até no osso; não está muito aparente porque, além de a pálpebra dela ser gordinha master (igual à minha), ela está sorrindo e abaixando a cabeça. E esse cabelo? Cabelo dos meus sonhos sim ou claro?

     Não achei uma foto boa dessa, mas olha que lindeza: esfumadão gráfico preto fazendo bico grande no canto externo e sombra branca no resto do olho. Iluminado no canto interno e subindo até o osso. Um tiquinho de delineado abaixo dos cílios inferiores - viram que elas sempre fazem isso? Show.


     Aqui dá pra ver o tamanhão do olho dela (invejei). Ela usou uma sombra azul metálica e delineou o olho todinho me parece que com um cinza azulado. Vejam que a sombra azul dá uma ultrapassada nos cantos. Muito rímel, como sempre.

     Aqui dá pra ver bem: essa sombra ferrugem linda cobriu a pálpebra toda, bem pronunciada no canto interno indo no mesmo nível até o externo. Parece que ela deu uma "bombada" na cor no canto externo (ou pode ser um tiquinho de cinza escuro) e delineou abaixo dos cílios inferiores com o ferrugem também. Muito rímel e muito amor.
     Gente, dicas pra olhos amplões nem precisa, né. A oferta é grande e as dicas daqui servem, é só calcular o côncavo. Nem fiz maquiagem em mim porque, além de eu não saber tirar boas fotos, acho que já tem muita menina fazendo isso por aí, e bem melhor que eu. Se querem tutoriais, olhem aí minha diva maquiagem: Bruna Tavares, do Pausa para Feminices, faz as maquiagens mais bonitas que eu já vi e tem esse tipo de olho.
     Vocês têm olho assim? Já sacaram isso? Têm amigas com esse olho?

sábado, 18 de maio de 2013

Unhas escuras

     Clichezão, inverno acabo usando mais esmaltes escuros. Olha aí o Conhaque, da Colorama (uma camada, ele é da coleção Única Camada - mancha um pouco perto da cutícula porque arrasta; com duas fica melhor, apesar de escurecer um pouco):

      Até fiz um anelar diferente, mas não curti muito o resultado. É o Desejo de Felicidade, da Passe Nati - que é lindo, principalmente sobre preto. Assim não ficou muito bõ. Ele tem flocados verdes/ azuis e glitter fininho roxo.
     A unha tá grandona. Tem um pouco mais de um mês que cortei e continuo usando minha base de sempre, pró-crescimento da Colorama (tampinha verde, líquido transparente). A Pamella falou que coloca alho na base e a unha dela nunca mais quebrou. Bem acho que vou tentar.
ps: nem adianta me falar que usa base com formol ou Super Bonder (sim, tem gente que põe Super Bonder na base de unhas) que eu não faço isso nem a pau.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Pink stuff

     Muito bem, Riley.
(tem legendas, é só apertar o botão antes da roda dentada na barra de vídeo)


     (Preciso comentar como ela é fofinha revoltada?)

Olheiras: nem precisa de subtítulo

     Quem acorda/ passa a vida sem se olhar no espelho e ver olheiras provavelmente não trabalha/ não tem vida acadêmica. A Larissa, mestranda em Literatura pela PUC-RJ (chique, né?) reclamou comigo das olheiras. Claro que aumentaram: ela tem que ir ao Rio estudar, acorda super cedo pra pegar o ônibus, lê mil coisas, etc etc etc. Quem não passa por coisas semelhantes? Claro que existe também um fator genético a ser considerado, mas há o ambiente - e as cagadas que a gente faz.
     A questão é: a pele abaixo dos olhos é muuuito mais fininha que a do resto do corpo (uns 0,4 mm, enquanto no corpo é de 2mm de espessura), e daí que fica muito mais visível qualquer situation ali. Acúmulo de pigmentos, vasinhos e gordura abaixo dos olhos são as principais causas das manchas. Mas o que causam as causas acaba sendo meio que senso comum. Vejamos o que dá (mais ou menos) pra mudar:

- Não tirar a maquiagem
     Gente, erro de principiante! O pigmento da maquiagem vai manchando a pele, causando olheiras também, potencializando o efeito das manchas que você já tiver. Não durma maquiada.

- Coçar muito os olhos
     Esfregar uma pele tão fininha agride a região e ressalta os problemas.

- Fumar
     [ALÉM DE TODOS OS PROBLEMAS QUE O FUMO CAUSA] Prejudica a circulação - o sangue irriga mal e os vasos ficam danificados, além de ressecar a pele do rosto todo. Já observei também que muitos fumantes fazem careta enquanto fumam (por causa da fumaça nos olhos), o que atrapalha ainda mais - além de causar rugas. O cigarro é um potente envelhecedor - um assassino mesmo, em todos os sentidos.

- Dormir mal/ pouco
     Vamos pular esse, né? Quem é que tem vida ativa que pode dormir 8 horas sempre? E quando chega domingo a gente acaba acordando muito mais tarde, o que também prejudica.

- Não usar protetor solar
     O sol ativa a melanina, que é um pigmento que já pode estar acumulado na região e será potencializado pela ação do sol. Se a sua olheira for amarronzada ( e não roxa), pode ser o seu caso. Um dermatologista pode aconselhar tratamentos específicos.

     Causas há muitas. Eu sou o tipo de pessoa que entende que tem que tirar a maquiagem, não fumo, etc. Mas a questão do sono é um problema porque na maioria das vezes não temos escolha. Então, sendo bastante realista, vamos falar de como contornar o negócio.

- Compressa de chá de camomila
     Batidasso? Sei lá. Pra mim ajuda bem, viu? Camomila tem mesmo um potencial clareador. Além disso, o geladinho da compressa ajuda a contrair os vasos e diminuir a bolsa, se houver. Faça chá e depois coloque os saquinhos úmidos na geladeira e aplique antes de sair por uns dez minutos. Lave o rosto (né, gente, nem precisava falar).

- Hidratação
     Se as pessoas soubessem como a hidratação salva tanta coisa na nossa vida, todo mundo teria pele e cabelo melhores. Hidratar a região com cremes específicos para a área dos olhos ajuda bastante no aspecto escurecido.

- Maquiagem
     Aí sim. Meu preferido e mais eficiente. Vocês lembram das aulas de artes no colégio? A cor complementar do roxo é o amarelo - use um corretivo amarelo. As cores complementares vão se anular, deixando aparecer a cor da sua pele. Existem corretivos que são realmente amarelos, e pode confiar que você não vai ficar com cara de hepatite. Ele neutraliza o roxo (assim como o corretivo verde neutraliza as manchas vermelhas). Use só nas manchas roxas! Eu não uso porque achei o meu corretivo - o da Tracta (famoso). Ele tem uma pigmentação excelente e não craquela nem escorre, muito bom mesmo. Já usei um amarelo, até tenho vontade de comprar de novo. Uma boa marca de maquiagem sempre tem um desses (indico: Contem 1g, Boticário, Vult, Duda Molinos, Tracta, e essas importadas que vocês já estão cansadas de saber - se não estiverem peçam que eu falo).
     Uma coisa importante é saber a ordem em que se maquia - não é regra e cada um sabe como funciona melhor para si. A base é a base - ela vem primeiro no seu rosto. Ela vai até o colo e já servirá como cobertura das imperfeições, fazendo com que você saiba exatamente o que cobrir com o corretivo, já que a base já terá dado uma uniformizada básica na pele. Depois o corretivo nas áreas em que houver necessidade (eu uso base e corretivo líquidos) e, por último, pó compacto, pra matificar (deixar fosco) e segurar tudo no lugar. O meu pó é o baratinho da Avon - Color Trend (cor Bege Médio). Tem dias em que estou com preguiça atrasada e uso só ele pra cobrir um pouco das olheiras. Acho bem bom.

     De qualquer maneira, cara rosto é: sempre siga os conselhos de um dermatologista; use cremes que hidratem com proteção solar e arrume tudo com maquiagem - fazer um bom reboco ainda é, na minha visão, a saída mais eficaz.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Oleosidade capilar, dermatite seborreica (e um detalhe da nutrição)

     O que muita gente sofre nessa época do inverno eu também sofro: o cabelo parece que não limpa. Você sai do banho e ele tá grudado na cabeça. É porque o frio faz com que sua pele tente se proteger mais, e por isso produz mais sebo. Uma boa solução é procurar shampoos transparentes (líquido transparente) porque eles têm mais detergente, que lutam mais contra a oleosidade. Os shampoos perolados e leitosos têm menos potencial de limpeza e, por conseguinte, agridem menos, mas se é o caso de oleosidade + inverno, aconselho os transparentes. Eu uso sempre o Pantene Fusão da Natureza, que é verde transparente. Atentem para o fato de que a transparência total do shampoo geralmente significa que ele é antiresíduos, e nesse caso não se pode usá-lo diariamente - são quinzenais e agem estilo sabão mesmo. Já o transparente de uso diário é tipo o Johnson baby, saca? Amarelo, mas transparente.
     Eu sofro de dermatite seborreica (que é uma inflamação crônica dos produtores de oleosidade do meu couro cabeludo), o que causa muita coceira, produção de oleosidade descontrolada e descamação do couro. Nunca me causou mais problemas que isso e durante minha adolescência toda, por falta de preocupação minha, eu não procurei ajuda médica achando que era normal uma cabeça coçar assim. Quando resolvi levar pro consultório da dermatologista eu descobri o que é viver: com os shampoos certos de tratamento, a coceira passou e a descamação também. Ainda cheguei a usar uns shampoos não muito bons, mas trocando de dermato cheguei à receita ideal para mim. Hoje em dia uso Celamina Zinco (da Glenmark) e Kerium DS (da La Roche-Posay). Este último é transparente igual a água, ou seja, é de limpeza profunda. Os dois são também indicados para caspa.
     Se você sofre de caspa (ou de qualquer problema no couro cabeludo), pare de pensar que shampoos comuns vão dar conta do seu caso. Não vão. Muita gente tem caspa e acha que lavar duas vezes por dia some com as partículas e tá tudo bem. Não está! Tem que tratar! Consulte, sempre, um dermatologista.
     Da nutrição - a Pamella acabou de me lembrar uma coisa: umectar, pra quem tem cabelo oleoso (ou que está sofrendo com a produção louca de oleosidade do inverno), pode ser um tiro no pé. Esqueci de comentar isso antes! Mas dá pra fazer como pré-shampoo: esqueça a parte de cima do cabelo - foco nas pontinhas, faz o aquecimento com chapinha e lava uns 10/ 15 minutos depois!
     UPDATE: A Aline também ficou aloka do cabelo grudado! Gente, isso é normal! O cabelo da gente está recebendo os nutrientes necessários, mas continua produzindo tanto óleo quanto antes - e até mais, por causa do frio. OUSEJA. O cabelo vai grudar. Uma boa lavada com duas shampoozadas resorve e o cabelo vai estar nutridinho, uma beleza. Não se aflijam - se a hidratação estiver bem feita, nada dará errado!


BAYJOS

 

Dando sopa

- Momento pra rir do título da postagem.
     Gente, vocês sabem fazer sopa? Muita gente pode estar achando que to de sacanági, mas de acordo com a pesquisa Vox Leitori (rysos) resultou que a maioria das pessoas que visitam aqui são medianas na cozinha - ou um desastre, como se autodenomina a Aline. Aline, você fez o Matheus. Precisa fazer mais nada, não. :)
     A questão é que sopa parece ser moleza demais de fazer: pica legume, cozinha, etc. Mas a questão é temperar e a ordem das coisas. Eu errei umas duas vezes até descobrir o melhor jeito de fazer com que os ingredientes peguem o sabor.
     Importante: eu não uso nenhum tempero de pó - nada de pó, na verdade. Suco, sopa, tempero de mijo, Szon: nada. Aquilo me mandou pro hospital uma vez. Faz MUITO MAL. Não usem! Papai do Céu faz alho, cebola, pimenta, louro... use!!
     Como fazer: antes de tudo, coloque muita água pra ferver. Se você for colocar macarrão, ainda mais. Sobrando mesmo.
foto artística da água fervendo
     Pique cebola e alho e reserve (sempre quis escrever isso!). Pique também os legumes (se alguém vier dar uma aula de que isso é legume isso é fruto vou fechar a internet) e separe.
Uma cebola grande e uma cabeça de alho - muita sopa!

Usei batata inglesa, cenoura e inhame (cará)
     Aí vem o segredo: muita gente cozinha os legumes só no sal e depois faz um "molho refogado" e adiciona à sopa. Acho que assim os pedaços não pegam tanto sabor. Como eu faço: refogo a cebola e o alho em manteiga. Muita manteiga.
Pode-se colocar um pouco de sal nessa fase
      Deixe fritar uns 3 minutos. E, depois, refoga-se os legumes crus picados aí:

Mexa bem pra misturar os caldos produzidos e já iniciar o cozimento por igual
     Nesse ponto sua água já vai estar fervendo. Deixe mais um pouco no refogado e adicione a água fervente. Só depois de cozidos os legumes, adicione o macarrão (gosto de usar conchinha - ou letrinhas e animaizinhos, quando a Ísis está jantando aqui). Esses macarrões cozinham muito rápido, então são os últimos a entrar na panela. Vá experimentando para tirar do fogo enquanto está firme, porque se você deixar cozinhar demais vai virar sopê - sopa de purê.
     Acerte o sal e acrescente pimenta, se gostar - a pimenta calabresa combina muito! Adicione também um pouco de molho de tomate, só pra dar uma corzinha avermelhada, não muito.
     Perceberam que não dou medidas de nada? É porque cozinho assim, bem no olho. Mas é tranquilo, né? Vou tentar medir as coisas pra próxima receita.
     A melhor notícia de quando se faz uma comida é que não houve tempo de tirar foto dela pronta...!
     Arrasa no inverno, né não? Está marcado em gordice e em comida saudável, porque, né.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

A vida que temos e a vida dos outros

     Quem visita o Shame on you, blogueira sabe de um monte de m* que flutua na internet, mais especificamente no nicho dos blogs. É engraçado, diverte, distrai pra caramba e, além disso, ajuda na auto crítica. Acho sinceramente que a titia que lá escreve presta um serviço.
     Clichezão, que seja.A questão é que não quero escrever sobre isso, mas foi o que me fez chegar à conclusão de que eu queria postar sobre isso. Que tantas vezes tanta gente come carne seca e arrota caviar que me dá nos nervos. Agarro muito abuso de gente que ostenta (tendo ou não tendo) porque isso me diz muito sobre o que vai por dentro: nada.
     Na internet a vida de todo mundo é maravilhosa. No mundo dos blogs, então, nem se fala: looks do dia são uma tela em branco em termos de criatividade e inspiração e são o outdoor do jabá. Propaganda por propaganda eu vejo em tudo quanto é lugar - se entro num blog de moda eu quero ver uma opinião, uma visão, um estilo, um ponto de vista. Editorial de moda não se aplica. E aí a gente entra e é, muitas vezes, enganada sobre o que é e o que não é propaganda e se sente por baixo e compra mais um batom mais um celular, mais uma bolsa. Nem to falando de mim porque nunca nem tive grana pra isso, mas o impulso de preencher o vazio rola solto, em muita gente.
     Nem sei se to conseguindo falar o que eu queria, mas só achei que tava muito grave ficar endeusando gente que escreve em blog porque elas viajam, têm piscina e 79 pares de sapato da marca tal - e fazem questão de esfregar isso na sua cara fazendo um vídeo em que mostram seu armário. Pra que que eu quero ver seu armário? O pior disso é que muita gente - muita mesmo - encara isso como uma espiada na vida de uma artista, um privilégio de participar da maravilha que é aquela existência purpurinada. A simples ideia de alguém fazendo um vídeo do próprio armário just because me endoida. Fica claro que é pra mostrar mesmo. Ostentação. Vazio.
     Disso tudo eu acabo tirando que a gente tem mais é que mudar o que a gente mesma entende por moda/ estilo/ beleza. Se a gente tá achando que é vestir calça listrada de preto e branco enquanto todo mundo tá usando, é importante rever. Moda, pra mim, serve como expressão de nossa individualidade, e não como tela em branco - transparente, vazio, molenga, cheio de rímel e sem opinião.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Resultados da nutrição - e o que fazer agora

     Te falar que me surpreendi demais com os resultados da nutrição capilar. Meu cabelo está realmente muito bonito. Minha tia comentou que ele está "voltando" - porque depois de setembro meu cabelo, que sempre foi muito bonito, ficou um desastre por um erro de cabeleireira. Depois de muito camuflar e errar sem saber, conheci o que tem que se colocar no cabelo e o estou salvando - literalmente.
     No primeiro dia fiz umectação e lavagem normal no dia seguinte. Na próxima lavagem fiz a máscara da Haskell - excelente!!! Não dá aquela derretida instantânea no cabelo, mas foi muito boa. Pela primeira vez meu cabelo não ficou super elétrico ("em pé"). Não usei o óleo como finalizador pra ver no que que ia dar. No terceiro dia fiz hidratação com a máscara de 3 minutos da Pantene. Ótimo! Lembrem-se dessa mesclagem de fases, gente!! Hidratação nunca deve ser abandonada de nossas vidas. Depois umectação de novo.
     Minha intenção: fazer mais uma semana de nutrição (totalizando duas e uns dias) porque como meu cabelo estava muito ferrado, eu preciso de mais cuidados (se seu cabelo é virgem de química, talvez não seja necessário) e vou sempre mesclar com a hidratação. Há muito tempo que eu não sei o que é andar por aí o dia todo com o cabelo solto.... e ganhei de volta os cachinhos na ponta, definidos, raiz solta, balanço. Muito bom mesmo. Como falei com a Larissa no Face outro dia: o óleo da Alfaparf (Alta Moda é... rsrsrs) custou 30 conto, mas valeu cada centavo. Cada centavo mesmo. Produto pra comprar de refil. De galão. Sério.
     Agora é que a bagaça fica mais cara: os produtos proteicos são os mais salgados. Mas o legal é que os produtos que gastamos mais - de hidratação - são os mais baratos: você usa por três semanas seguidas e entremeando as outras fases. Os de nutrição já encarecem um pouco, mas se usa menos e, de proteínas, mais caros e menos usados ainda. Então existe uma compensação nisso - quanto mais caro, mais produto sobra pra repetir a rotina.
     Que foi outra coisa que a Larissa perguntou: depois do cronograma, segue com a vida?
NAAAAAAA
     Aí você transforma as fases em dias únicos em uma semana: durante três semanas você vai tirr um dia para hidratar. Depois, nutrir e reconstruir. Dá pra fazer isso por uns 3 meses e voltar pro cronograma, ainda mais se você usa tinta, faz muita escova ou alisamento.
     Sassemana vou comprar os negócios de reconstrução e venho mostrar procês.
     Vou ficar botando link aqui não, se quiser rever as coisas de que falei aqui é só clicar nas "Categorias" em "cronograma capilar".

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Dos trotes e umas coisas

     Todo início de semestre a Tribuna de Minas me relembra da sua falta de assunto de capa - com sua recorrente mania de colocar fotos enormes de buracos na rua, mato sem capinar, termômetro da Halfeld marcando temperaturas altas ou baixas - e nessas ocasiões ela vem com fotos dos trotes da Universidade Federal de Juiz de Fora ocupando quase a página toda. E sempre, todo ano - todo semestre - é uma enxurrada de gente pra falar mal dos trotes.
     Não quero falar muito disso porque o assunto é velho: mas gente. É lógico que não se deve fazer sacanagem de qualquer espécie com ninguém. Parece que obrigaram uma moça a colocar testículos de boi na boca e ela passou mal (não sei onde foi). Isso é ridículo e tem que ser punido, e nem é uma questão de ser minha opinião. Está claro. Degradar ou desrespeitar as pessoas de qualquer que seja a forma não é legal em hipótese nenhuma. Ponto. Então fiquemos acordados que, quando falo de trote, falo do trote legal, consentido, divertido, comemorado.
     A questão é que eu queria muito que as pessoas vissem que nem todo trote tem dessas coisas. Eu levei e apliquei trote e foi muito especial e divertido. É um momento emocionante, só quem já passou pela experiência de ser aprovado em uma faculdade (pública, não pública, qualquer uma) sabe que um vestibular é uma conquista. Significa muita coisa e passar por uma brincadeira em que as pessoas que já estão à sua frente te sujam porque você quer é muito legal! Claro que é só algo estabelecido e talvez não tenha sentido nenhum. Concordo. Poderiam ser feitos atos mais solidários. Concordo. Na minha turma fizemos os dois: sujeira e doação de livros e sangue no Hemominas.
     Então porque continuar com a mentalidade de que o trote é esse absurdo? Quando foi que ficamos tão "sérios"? (Atenção às aspas) Foi antes ou depois de acharmos o máximo algo que se usa chamar de sertanejo universitário, que aceitamos a corrupção, que ficamos com o troco a mais de propósito, que passamos por cima das pessoas... Foi antes ou depois de sermos uns babacas demagogos? Porque, sinceramente, tanto fuzuê por causa de gente que quer comemorar uma vitória tão séria e suada com uma brincadeira boba, catártica e sem sentido que não machuca ninguém?
     Me lembra do menino que brigou numa faculdade aqui em JF porque diz ele que a universidade é um órgão público e por isso o crucifixo que a secretária colocou lá não poderia estar lá. Gente. Sério.
     Vai estudar. Vai trabalhar. Vai preocupar com coisa séria. Vai ler.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Mexericas!

     O que você faria se alguém te desse uma sacola cheia - muito cheia - de mexericas, sua fruta preferida?
      Sim, você agradece, chora, se desespera e faz uma postagem!!! Brigada Lindaura e Felipe!!
     Vocês acreditam que essas mexericas crescem no quintal deles? Além disso lá tem coco, mamão, acerola... Mondicoisa boa e sem agrotóxico nenhum! Show!
     E principalmente você... Come!
NHAC



Unhas em preto & branco: nail art sofisticada

     Na minha opinião existem poucas coisas mais chiques que preto e branco combinados. Nas unhas, acho mór charme. Estava com aquela vontade (vocês têm isso, de vontade de uma cor?) de preto e lembrei dos adesivos que comprei na Belíssima. Olha que graça:
Preto, da Impala - o melhor esmalte preto; Blanc, da Blant - o melhor esmalte branco


     A parte que está branca é do esmalte, ou seja, na película é transparente. Imagina que lindo deve ficar com rosa de fundo, por exemplo? Tem vários modelos, estampas, estrelinhas, rendinhas, muito legal. O adesivo vem com um papel explicativo de como usar. É bem fácil: depois do esmalte quase seco você retira a película (que é retangular) e aplica sobre a unha. Depois disso ela age como um pedaço de esmalte seco e derrete ao contato com o palito com algodão embebido em acetona. A ponta é retirada lixando de cima para baixo (com a lixa em pé, como se estivesse limpando o sapato no meio fio quando você pisa em b* na rua. Não é uma imagem muito romântica, mas define bem a coisa).
     A primeira eu estraguei porque o esmalte estava muito molhado, a segunda eu enruguei um pouco (mas deixei) e a terceira já ficou show. A cartela vem com 12 películas e custa 5 reais na Belíssima.  Acho que dá pra pedir pela página da moça no Facebook, depois vejo.
     Vocês gostam de adesivos assim? Aqueles com palmeiras e golfinhos eu não curto, não.

domingo, 5 de maio de 2013

Batatas fáceis de micro

     Se tem uma coisa que é fácil e fica muito, muito boa é essa batata de microondas. Amo batatas, mas a preguiça de descascar me desanima na maioria das vezes. Essa receita não requer isso.
     Você vai pegar quantas batas quiser, cortar ao meio longitudinalmente e fazer um buraquinho no meio das metades, pra poder ficar mais fácil de elas cozinharem. Assim:
Usei aquelas menorezinhas. Bem lavadas, com casca. Deixei os "meios" cortados juntos, ficam muito gostosos.
      Depois você vai temperar: coloque sal (uma boa quantidade, porque você corre o risco de ficar com uma batata com gosto de água), azeite até preencher os buraquinhos e outros temperos que você gostar - eu usei louro em pó e pimenta do reino. Queijo ralado também fica ótimo, além de pedaços de queijo e presunto, requeijão, essas coisas.

      Dependendo do tamanho da batata e da potência do microondas, ajuste para 6 - 8 minutos. Fica excelente. Elas cozinham por dentro e ficam ligeiramente grossinhas por fora porque o azeite dá uma "fritada" básica na superfície.

     É fácil e rapidão, além de causar uma impressão legal. Com carne e peixe fica show.
     Quem ama batatas?

sábado, 4 de maio de 2013

Modo de usar: produtos pro cabelo

     Muitas vezes a gente usa errado as coisas mais básicas... Já que a gente tá vendo como fazer de várias coisas cabelísticas, vou repassar o modo de uso de algumas:

Shampoo: Aplique pouca quantidade no topo da cabeça, no couro cabeludo mesmo. O shampoo é um detergente e serve pra limpar impurezas, oleosidade, caspa, poeira, essas coisas. Ele abre as cutículas dos fios, preparando-os pra receber tratamento. Não passe shampoo na extensão dos fios! A quantidade que escorre do topo da cabeça já é necessária pra limpar a peruca. Só se deve esfregar os fios no shampoo que está no coco no caso da umectação.

Máscara: Deve ser aplicada logo após o shampoo, não importa o que digam os rótulos. A máscara é o produto que realmente vai tratar o cabelo (sendo ela comprada corretamente, como já vimos) e por isso deve vir quando as cutículas estão abertas. Depois do condicionador não adianta tanto porque ele fecha as cutículas. Separe sempre a quantidade de máscara que vai usar usando utensílios plásticos para não contaminar o resto do creme nem molhá-lo com água do banho. Se sua máscara tiver pH baixo, como 3,5 ou menos, você pode dispensar o condicionador pois ela já tem acidez suficiente para fechar as cutículas.

Ampolas: As ampolas podem ser diluídas em máscaras ou usadas sozinhas. A mesma coisa das cutículas serve aqui. Cuidado com as ampolas que não podem ser diluídas, isso geralmente vem escrito no rótulo. Não dilua uma ampola no pote de creme todo para ir usando, faça a separação da máscara como descrito antes e aí use a ampola. Isso aqui serve pro Bepanol Derma também.

Condicionador: Deve vir depois de todos esses aí de cima. Como já disse, ele fecha as cutículas e isso ajuda a manter o tratamento no fio, evitando que ele se perca mais facilmente. Sempre se deve enxaguar todo o condicionador; já vi cabeleireiros profissionais aconselhando a deixar um pouco no cabelo. Isso porque o creme em excesso causa um peso e evita frizz, muitas vezes aparentando um cabelo saudável. Enxágue bem, ok? Muitos produtos são indicados para uso depois dele, ignore isso, a não ser que seja o caso de finalizador e leave-in - cremes para pentear, óleos, etc.

Finalizadores: Pouca quantidade, nas pontas. Como sempre e em qualquer produto, evite os silicones, que não tratam, maltratam e mascaram problemas. No caso de óleos, use ainda menos e aqueça esfregando nas mãos para ativar pela temperatura.

Óleos: Podem ter um uso específico na umectação, explicada aqui.

Tratamento noturno: Esse não tem muito erro - o rótulo não tem muito como errar nessa descrição porque ele não envolve lavagem ou ordem em relação ao condicionador. Aplique antes de dormir e observe se a instrução manda lavar ou não pela manhã.

E vocês, estavam fazendo isso nas perucas?

Umas coisas que eu pensei

     Essa semana passamos por maior polêmica por conta de um texto que fala da suposta inutilidade do curso de letras - meu curso, meu sonho, meu orgulho (o que não tem nada a ver com umas coisas ruins da academia). O cara disserta longamente sobre questões acadêmicas bastante pertinentes, como os gastos excessivos com pesquisas nem sempre relevantes, que muito geram uma corrida - como diria meu orientador, o "fordismo do homo lattes" - vazia por enchimento de currículo. Nada contra, pratico a modalidade. O problema é quando vira só isso. Muita gente sugando o dinheiro público viajando pra lá e pra cá apresentando comunicações de 20 minutos em eventos herméticos com trabalhos ruins e gente egomaníaca - é o que mais tem. Sem querer me estender muito no assunto, queria muito ter podido fazer uma leitura fria do texto do cara, que tem lá (o texto, não o cara, que não conheço) seus méritos. Queria ter lido isso sem a mágoa de ver que ainda tem gente que acha que ser médico e advogado e engenheiro é ser doutor e que humanas não leva ninguém a nada. Queria ter podido ler esse texto com os olhos bem resolvidos de alguém que sabe que tem gente que pensa assim e fazer o quê e segue com a vida. Mas não consegui.
     Construí muitas opiniões e chamei amigos e professores no páreo. Meus professores declararam o desprezo por um texto amargurado e sem fundamentos - fato. Pouco conhecimento sobre linguística, literatura e ensino detonam tudo ali. Mas o mais interessante, e isso nada tem a ver com o texto em si, é que a gente começa a refletir sobre a nossa situação frente a essas questões: e por isso não me arrependo de ler o texto e acho muito bom que ele exista, porque é a partir de coisas assim que a gente pensa e chega a algumas conclusões. É a partir de coisas assim que a gente se incomoda e age - minha whole pesquisa de mestrado envolve isso: agir a partir de um incômodo. Funciona bem, tá até empírico.
     A ação nesse caso é muito mais abstrata que de pintar a cara, e não por isso menos real. Acontece que a gente vai chegando a certas conclusões, do tipo perceber que se fez a coisa certa e a ver (com grande satisfação) que discordar dos outros acontece e é muito bom e enriquecedor. Já fui adolescente e me lembro bem de acatar tudo que estava escrito e hoje sei que tem muito doutor que devia ter é diploma de idiota.
     O que estou querendo - e não conseguindo - dizer é que hoje sei que fiz a escolha certa do que estudar, mas é mais que isso. Um sábio professor uma vez disse que o que fazemos é inútil. Depois do choque inicial da afirmação ele explica: "Inútil também são arquitetura, moda, música, teatro, cinema, gastronomia. Vamos viver só com o que é útil, então". E aí eu fui percebendo que a utilidade não é, necessariamente, um valor positivo ou absoluto. Útil para quê? Então está posto que só é útil economizar dinheiro, fazer remédios e tirar gente da prisão? É sério que tem gente achando que estudar literatura não muda a vida das pessoas? É for real que galera acha que ser professor de língua é só passar regra de oração subordinada no quadro?
     A questão acho que fica assim: a gente tem muito que saber o que está fazendo. E pra isso eu venho chamar lá antes de Cristo: Sócrates já mandava - "Conhece-te a ti mesmo" e eu ouso fazer um adendo. Conhece-te, sim, a ti mesmo, e não te deixes amarrar por isso. Porque muitas vezes a gente até saca (tem uma ideia daquilo) o que quer, mas deixa isso ser contaminado por muita coisa. Pensa em ganhar dinheiro, em status, em aprovação, em satisfazer o próprio ego frágil colecionando fãs e repetindo sempre as mesmas asneiras que, um dia fizeram sucesso, hoje são bobagens, mas os fãs são tantos que continuam alimentando. Repare bem, não estou fazendo apologia ao vácuo do pura e simplesmente siga seu coração - estou trabalhando a ideia de que, acima de tudo, a gente tem que lembrar os motivos, a gente tem que ter bem assentado na nossa cabeça o porquê de fazermos o que fazemos. Inútil, útil, bonito, braçal, artístico ou nada disso: quando o relógio está marcando 4 horas da manhã e suas costas estão doendo enquanto você luta pra achar em que página o Foucault falou de um conceito de que você nem lembra bem o nome, ou quando o recuo não fica do jeito que você quer, ou mesmo se você nunca se lembra direito o conceito de imanência - é esse saber porque que vai te levar pra frente. É quando, no meu caso, eu volto no Livro do Desassossego (do Fernando Pessoa, meu objeto de estudo) e releio pra retirar um trecho: mesmo cansada e duvidando na noite, eu me lembro daquilo que nunca esqueci.
     Até queria falar mais sobre o tal texto, mas o que queria mesmo é isso aí. Enfim.