segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Ah, a academia

Quanto mais eu descubro e aprendo sobre o sistema educacional brasileiro mais eu gosto dos meus livros - de maneira independente da escolástica, que fique claro.
Como diz uma grande professora, as faculdades vem mentindo pra sociedade ha tempos. Comassim? Assinando um diploma, elas estão afirmando pra sociedade que o profissional está qualificado (com tudo que vem junto com essa palavra) pra atuar na profissão.
Gente, e tem hora que é uma mentira deslavada. Professores nos formam com o sovaco over and over again. Posso falar com segurança que o que aprendi de gramática do português eu devo basicamente à Fátima (e meu esforço), minha professora de português do colégio (e tantos outros na mesma escola). Se hoje faço um pouco da minha vida profissional dando aula disso, nada tem a ver com meu diploma de licenciada em letras. Só um exemplo, porque o problema vai muito além da deficiência curricular, que talvez seja o menor problema.
Os grandes casos, na minha visão, são o "relaxo" nos cursos ministrados. Concursos suspeitos. Professores com uma pronúncia risível (caso de língua estrangeira). Orientadores alheios. Mau uso de dinheiro público. Politicagem. Subordinação a outros interesses que não a multiplicação de conhecimento. Guerra de egos. Irresponsabilidade. Corrupção.
Sei que é um texto raso e não falei quase nada, mas quisera eu ter a força de escrita lá dos poetas modernos que viam e verbalizavam num heroísmo espetacular.

sábado, 23 de novembro de 2013

Publicar em periódicos

     Eu super queria fazer uma postagem falando sobre publicar em periódicos, mas tô aqui procurando chamadas abertas pra publicar e acabo topando com revistas que aceitam apenas artigos escritos em coautoria ou de mestres pra cima. Você vai lá ver e dá de cara com uma revista que nem publicação tem ainda. Tomar banho (leia aqui um palavrão) - eu trabalho em comissão editorial de revista e sei muito bem que tão forçando essa barra pra já começar com um Qualis bom. Acrescentar pra comunidade acadêmica ninguém quer, só engordar os lattes de negada que encosta nos orientandos e ter qualis A.

*é óbvio que tem muito orientador ativo e responsável, mas, né.
**não aceitamos reclamações. se a carapuça servir, pega e veste.

domingo, 17 de novembro de 2013

Maquiagem em Mad Men

     Completamente obcecada pela maquiagem da Megan que apareceu na 5ª temporada (se você ainda não viu a quarta não leia, tem spoilers!). Pra acabar de ler o post, clique aí em "Mais informações".

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Unhas do dia

Sabem um negócio chamado dissertação de mestrado?
Então.
É azunha que tá teno.
Wish me inspiration - I don't believe in luck.

domingo, 10 de novembro de 2013

Where's the fire?

Eu não sei onde é um incêndio, mas e se ele for tão dentro que não adianta correr? E se correr for a pior coisa? Muito estranho imaginar que tem hora que dá vontade, demais, de pegar uma pessoa e meia dúzia de coisas e estar bem longe - mas mais estranho é saber que minha vida se resume a isso há muito tempo e, na verdade, eu não me lembro de não sentir isso. A vontade maluca de estar em outro lugar. E nem sei se é uma idealização, de achar que "lá" tudo de ruim vai sumir em vapor. É o real saber que eu tenho que. Tenho que estar longe daqui. Mais que longe daqui, é preciso acertar todas as arestas, e são tantas, meu Deus, são muitas e nesse momento a gente não sabe qual aparar, se dá pra aparar, se é for real mesmo. Essa é minha sensação de vida: aquela coisa que já ouvi muita gente dizer "que vontade de sumir" eu estou, eu sou assim cem por cento do tempo. Eu só vou juntar todas as peças de mim ao mesmo tempo quando isso for a minha realidade. Não quero uma fuga - quero a chegada.

Ah, Billy Joel.

Slow down, you crazy child.
You're so ambitious for a juvenile.
But then if you're so smart, tell me why are you still so afraid?
Where's the fire? What's the hurry about?
You better cool it off before you burn it out.
You got so much to do and only so many hours in a day.

Don't you know that when the truth is told
That you can get what you want or you can just get old?
You're gonna kick off before you even get halfway through.
When will you realize Vienna waits for you?

Slow down, you're doing fine.
You can't be everything you wanna be before your time,
Although it's so romantic on the borderline tonight, tonight.
Too bad, but it's the life you lead.
You're so ahead of yourself that you forgot what you need.
Though you can see when you're wrong,
You know, you can't always see when you're right, you're right.

You've got your passion. You've got your pride,
But don't you know that only fools are satisfied?
Dream on, but don't imagine they'll all come true.
When will you realize Vienna waits for you?

Slow down, you crazy child.
Take the phone off the hook and disappear for a while.
It's all right you can afford to lose a day or two.
When will you realize Vienna waits for you?

Don't you know that when the truth is told
That you can get what you want or you can just get old?
You're gonna kick off before you even get halfway through.
Why don't you realize Vienna waits for you?
When will you realize Vienna waits for you?

sábado, 2 de novembro de 2013

Leituras

     Livros, livros, livros.
     Dificilmente acho alguma coisa mais legal que livros, especialmente comprar pela internet (por nada não, só a emoção de esperar/ receber pelo correio) e ganhar. Ultimamente foram aquisições bem especiais: ganhei no meu aniversário e comprei Fários na Estante Virtual.
     O presente foi da Jamille, e apesar de não ter sido surpresa, a emoção e a alegria de ter ganhado foram máximas - não foi surpresa porque meu primeiro Harry Potter também foi presente dela no ano passado - vergonha, sim, eu sei - e depois de ler eu realmente amei a história. Depois vou querer ler no original. Olha que graça:
     Eu olho pra ele e me sinto muito mal de ter sido adolescente e não ter conhecido nada, nem os filmes, antes dos 24 anos. Mas que bom que a gente tem amigas pra isso :) E se você acha que isso não é literatura, eu tenho um recado pra você: não, não tenho. Tô com preguiça.
     Os outros livros são mais comprometidos, mas também me garantem diversão, grande vantagem de se estudar/ trabalhar com o que se gosta. "Diretamente" de Portugal (favor ler com sotaque lusitano), António Lobo Antunes:
      Comecei por Explicação dos Pássaros, porque achei o nome lindo. Já tinha lido Memória de Elefante (o primeiro romance dele). O cara é médico psiquiatra e largou a medicina pra se dedicar à literatura na década de oitenta mais ou menos. Escreve doído, sem muita linearidade temporal, sem muitas rotulações de personagens mas consegue com que entremos neles muito mais através disso - em Memória de Elefante o protagonista é "o psiquiatra"; sem nome, sem quase nada: e com isso a gente percebe, nas quase sumidas entrelinhas, que um nome seria demais pra ele. Achei muito bom, mas as 25 já lidas de Explicação dos Pássaros já estão ganhando em termos de escritura. A temporalidade é muito doida e linda: ele tá falando de um momento no "presente" no hospital, daqui a pouco é uma lembrança de infância - no mesmo parágrafo. Brilhantemente conduzido, viu? Fluxo de consciência, mistura de vozes (ainda não sei qual o foco narrativo) e tristeza - mas nada daquela tristeza piegas/ besta/ mexicana/ básica. Coisas intranós mesmo. Recomendo ou recomendo?

 

Pra que viver quando se pode navegar, né?

Compositor de destinos

Tambor de todos os ritmos
Tempo
Tempo
Tempo
Tempo
(Entro num acordo contigo?)